29 de mar de 2012

Madame X


Poema para Madame X

Ai, como aquele poeta antigo cantava
Com tamanha graça e tanto louvor,
A plenitude do verdadeiro amor
Que ele nutria por... Anarda!

E aquele "mineiro" da mais fina poesia
Que com a pena corria por belos prados
Que tinha mil ovelhinhas e mais de gado
E que tanto amava... Marília!

Tem aquele outro, de um outro país
Que há séculos cantou o céu e o inferno
E que imortalizou em majestosos versos
O amor que tinha por... Beatriz!

Agora vamos por terras secas e ibéricas
E o que vem primeiro em pensamento
É o cavaleiro dos moinhos de vento
Com seu fero amor por... Dulcinéia!

Agora quero falar do amor do peito meu
Que tanto me acalma, acalanta e faz feliz;
Um amor maior do que cabia em Romeu;
O amor imortal que tenho pela minha 
Madame... X!

(autor: Gyl)





Nenhum comentário:

Postar um comentário